Guias Estaduais: GNRE para todos os gostos e UFs


Postado em 10 de novembro de 2017 por FH
image-1

A geração do arquivo XML lote pode ser automatizada, o que garante a segurança na geração e transmissão da GNRE para posterior recolhimento, por meio de uma Solução Fiscal flexível.

A GNRE é a Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais. É através deste documento que é realizado o recolhimento, aos cofres do Estado, do imposto decorrente das operações interestaduais de vendas de produtos sujeitos à substituição tributária, realizadas pelos contribuintes de ICMS – Imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias e prestação de Serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação.

A GNRE é um documento de uso habitual dos contribuintes, uma vez que a figura da “ST” – Substituição Tributária foi amplamente inserida nas operações relativas à circulação de mercadorias e prestação de serviços englobados nesse regime fiscal.

A Substituição Tributária é um regime que atribui a outro contribuinte a responsabilidade pelo recolhimento do ICMS, sendo que esta obrigação criou as seguintes modalidades de contribuintes:

  1. Contribuinte Substituto: é aquele eleito para efetuar a retenção do imposto antecipadamente e posteriormente cobrar do cliente, sendo este somado ao valor final dos produtos;
  2. Contribuinte Substituído: é aquele que receberá a mercadoria já com o ICMS retido na fonte pelo contribuinte substituto.

As normas para a retenção do imposto dependem de cada Unidade Federativa, sendo que os Estados de origem e destino envolvidos na operação ou prestação devem ter acordo firmado pelo Confaz – Conselho Nacional de Política Fazendária.

É aí que entra este instrumento “GNRE”, para que o contribuinte substituto faça o recolhimento da Guia assim que operar com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. O contribuinte substituto observará as normas da legislação da Unidade da Federação de destino da mercadoria para cálculo e recolhimento do ICMS Substituição Tributária.

Assim como existem diversas normas que regem esta matéria, também podem ser utilizados diferentes tipos de Guias com vários códigos de receita para recolhimento. Cada UF possui códigos específicos para os muitos tipos de operações em que se enquadram os seus contribuintes.

Para tanto, há o Portal GNRE Online que pode ser acessado através do site http://www.gnre.pe.gov.br/gnre/portal/GNRE_Principal.jsp.

Este portal é gerenciado pela Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco – SEFAZ PE.

A maioria dos Estados brasileiros participam do Portal GNRE Online, com exceção do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo que possuem layout próprio para a geração das Guias.

Para as Guias que serão geradas pelo Portal existem 04 (quatro) opções, a saber:

  • Processar uma Guia individualmente;
  • Processar lote gerado e armazenado no próprio portal;
  • Processar lote gerado no sistema do próprio contribuinte, conforme manual para preenchimento do XML de lote;
  • Processar por meio de comunicação webservice, entre o Sistema Fiscal do contribuinte e o portal GNRE Online.

A geração do arquivo XML lote pode ser automatizada, o que garante a segurança na geração e transmissão da GNRE para posterior recolhimento ao Fisco. Esta integração pode ser feita por meio de uma Solução Fiscal flexível, a qual proporciona um vínculo no sistema ERP dos respectivos documentos fiscais utilizados para cada Guia e oferece relatórios de apoio aos usuários.

Este controle automatizado das informações e operações dos contribuintes de ICMS, impactará diretamente na geração de obrigações acessórias estaduais mais confiáveis, como exemplo, o Sped Fiscal – EFD ICMS-IPI.

Com esta integração o processo fica mais rápido, seguro e sem retrabalhos, desta forma, elimina dos contribuintes os desperdícios de tempo e também financeiros, com a redução no pagamento de juros e multas ao Fisco.

Outro ponto relevante a destacar é que, neste processo de GNRE, pode-se fazer um lote com todos os documentos abrangidos pela operação fiscal e que devem ser marcados para geração do arquivo XML. Com uma Solução Fiscal apta a automatizar a GNRE Lote, haverá um ganho considerável na agilidade dos processos internos das empresas.

Por isso, o melhor caminho é sempre que possível automatizar processos. É fazer implantar e deixar a Solução Fiscal apta a trabalhar pelo bem da empresa, a serviço dos usuários, para que estes profissionais consigam dispor de mais tempo para aprimorar seus conhecimentos, ainda mais em se tratando de ICMS, uma matéria tão complexa e com tantas variáveis de acordo com o tipo de produto e do Estado em que se opera.

Logo, isso fará com que a organização empresarial otimize seus recursos internos, eleve suas entregas a um nível maior de excelência, sem medo ou receio do Governo.

Em um tempo de contensão de gastos por parte dos contribuintes brasileiros, melhorar processos é sempre um investimento que vale a pena e que sempre estará na pauta do dia das reuniões fiscais.

Por fim, tem-se a certeza de que a organização empresarial terá um caminho mais tranquilo de fato, o mais seguro, que é cumprir a legislação com correção e informações confiáveis, baseados em uma Solução Fiscal robusta e sólida, cumprindo todas as obrigações impostas nessa relação com o Fisco brasileiro.

Johney Laudelino da Silva – Cientista Contábil, MBA em Gerência Contábil pelo IBPEX é Business Expert Especialista na Solução Contábil/Fiscal e de Gestão Tributária GUEPARDO da empresa FH em Curitiba-Pr desde Julho 2013.

Colaboração de Osmair Ribeiro, consultor SAP da Solução Contábil/Fiscal e de Gestão Tributária GUEPARDO da empresa FH.

Fontes:

Portal Administradores

Revista Ações Legais

Hoje.News

Portal Contábeis

Portal Dedução

Portal Contábil SC

SPED News


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

SAP adota ‘machine learning’ para otimizar experiência de compra


Postado em 10 de novembro de 2017 por FH
image-1

A tecnológica SAP adicionou novas tecnologias às suas soluções, como reconhecimento facial, ‘machine learning’ e ‘Internet of Things’ (IoT) para ajudar as empresas a chegar aos consumidores com campanhas de marketing “mais relevantes. Não só otimizando a sua experiência de compra, como também salvaguardando a privacidade dos dados dos seus clientes”, explica a tecnológica.

A solução “SAP Hybris Marketing Cloud” promete ajudar as empresas a utilizarem as mensagens certas para chegarem aos clientes estratégicos e garantirem que os dados e a privacidade dos clientes estão protegidos. Através das ferramentas:

“Digital Boardroom” para as direções de marketing (CMO): com base na utilização das funcionalidades do “SAP Digital Boardroom”, o novo painel executivo de marketing permite aos diretores a exposição de relatórios que medem o sucesso das suas campanhas, bem como a visibilidade de problemas iminentes. Além disso, este painel digital também possibilita a identificação de novas oportunidades de crescimento dentro do seu mercado e segmentos.

Reconhecimento facial por aprendizagem automática (machine learning): o sistema de inovação digital “SAP Leonardo” integra tecnologia de reconhecimento facial dentro da solução “SAP Hybris Marketing Cloud”, permitindo que esta funcionalidade seja utilizada no setor do varejo e dando início a uma nova forma de interagir com os clientes dentro da loja. Com base na análise facial, o software, ao conectar o gênero e a idade dos consumidores com o inventário e estoque disponível na loja, permite recomendações personalizadas de produtos que são apresentadas em monitores de grande dimensão.

Atribuição de clientes integrada: a solução “SAP Hybris Customer Attribution” (anteriormente conhecida por Abakus) faculta aos profissionais de marketing medições precisas de campanhas e atividades de marketing que levaram à compra efetiva pelo cliente. Recolhe os dados dos vários pontos de contato efetuados pelo cliente, dando um conhecimento sobre o que está levando à conversão de clientes e onde realocar atividades e orçamento em tempo real.

Internet of Things (IoT) em campanhas de marketing: as empresas que disponibilizam dispositivos IoT podem configurar atividades específicas e personalizar as ofertas. Por exemplo, as marcas de dispositivos de aptidão física podem enviar uma mensagem de marketing relevante quando o consumidor que atinge um novo marco de condição física.

Suporte no âmbito do Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR): esta adição assegura que as empresas, mesmo que executando uma segmentação sofisticada dos seus clientes nas suas campanhas de marketing, têm a proteção de dados do cliente como principal prioridade e estão em conformidade com o regulamento geral de proteção de dados que entrará em vigor em maio de 2018.

 

Fonte: Hipersuper


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Entrevista Rádio Justiça – Guias Estaduais: GNRE Para todos os gostos e UFs


Postado em 9 de novembro de 2017 por FH
image-1

O Consultor Johney Laudelino da Silva, Contador e Especialista em Gestão Tributária e integrante do time de Research & Development da Solução Fiscal GUEPARDO da FH concedeu entrevista à Rádio Justiça sobre a Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais – GNRE.

” A GNRE é um documento de uso habitual dos contribuintes, uma vez que a figura da Substituição Tributária foi amplamente inserida nas operações relativas ao ICMS, conforme as legislações estaduais de cada UF.[…] através de uma guia que o contribuinte pode emitir pelo Portal GNRE que é gerenciado pela SEFAZ de Pernambuco. […] Conforme as regras do COMFAZ – Conselho Nacional de Política Fazendária, todos os contribuintes que estão envolvidos em operações de origem-destino são obrigados a fazer esse recolhimento…”

Ouça abaixo!

 


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

FH conquista 1° lugar no ASUG Impact Awards pelo quarto ano consecutivo


Postado em 8 de novembro de 2017 por FH
image-1

Com o case de sucesso “Braskem – BM Eletrônico – Boletim de Medição Eletrônico”, a FH conquistou o primeiro lugar no ASUG Impact Awards 2017. Com a implementação do SAP Fiori, a Braskem automatizou os processos da sua área de Manutenção Industrial, principal objetivo do projeto. Desta forma, a empresa ofereceu aos usuários de software SAP uma experiência intuitiva, simples (UX) e que roda em qualquer dispositivo.

Cesar Sassoon, Account Executive da FH, recebe o prêmio de 1° no ASUG Impact Awards, em nome da companhia.

A entrega do ASUG Impact Awards, que destaca os melhores cases de TI do Brasil, aconteceu no dia 7 de novembro, durante a 20ª Conferência Anual da ASUG Brasil. Esta é a quarta vez consecutiva que a FH fica entre os três melhores cases SAP do País, sendo este o sexto título ASUG Impact Awards recebido pela companhia.

Em edições anteriores, foram premiados: Projeto “DPaschoal – Projeto CRM 2.0” (primeiro lugar/2016), Projeto “HANA.A”, executado para o Aché Laboratórios (terceiro lugar/2016). “Projeto 2154 – Gestão da Cadeia de Suprimentos com AFS e EWM”, realizado para a empresa AREZZO (terceiro lugar/2015); “Projeto Avance – Um novo patamar tecnológico para a Ourofino” (primeiro lugar/2014) e “Grupo Boticário – Gestão de categorias e sortimento em uma plataforma de varejo” (primeiro lugar/2011)

O Account Executive da FH, Cesar Sassoon, esteve presente no evento e recebeu o prêmio em nome da empresa. “Esta premiação é mais um reconhecimento de grande importância para a FH e para as equipes envolvidas no projeto em questão, que foi coroado de sucesso pela cumplicidade que houve com o cliente em torno de um objetivo comum. Conquistar o ASUG Impact Awards pela quarta vez consecutiva mostra que estamos trilhando o caminho correto, reforçando nosso compromisso diário com a excelência no desenvolvimento de projetos e soluções, que objetivam o atendimento das necessidades e diretrizes estratégicas dos nossos clientes, além da confiança e respeito mútuo que já são marcas registradas da FH!”, comemora.

O ASUG Impact Awards é um prêmio tradicional na comunidade da ASUG. A premiação visa destacar os cases de maior sucesso dentro da associação e dar oportunidade às equipes de projeto de compartilhar suas experiências gerando também material para os eventos da ASUG. Outros grandes cases concorreram à premiação, cujos critérios avaliaram melhores práticas, melhorias no nível de serviço, originalidade e inovação.


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Confira os depoimentos dos Clientes FH no SAP Forum 2017!


Postado em 7 de novembro de 2017 por FH
image-1

Sempre alinhada ao que há de mais inovador no mundo tecnológico, a FH participou este ano da 21ª edição do SAP Forum Brasil. Durante o evento tivemos o prazer de ouvir dos nossos clientes o que eles têm a dizer sobre a FH. Afinal, ninguém melhor do que eles para falar como as nossas soluções e produtos impactam diariamente no processo de transformação digital de suas companhias.

Matthieu Grymonprez, IT Director da Leroy Merlin, falou um pouco sobre como foi o processo de transformação digital em sua companhia quando a FH implementou o SAP Hybris, trazendo um novo conceito omnicanal para a venda assistida, alertando que “se você não faz isso (transformação digital), vai ficar perdido na competição! 80% dos clientes visitam o site antes de ir para a loja e nós tínhamos uma distorção entre as ferramentas supermodernas de e-commerce e as ferramentas das lojas. Para garantir uma experiência legal para os clientes decidimos juntar tudo em uma única plataforma! ”

Quem também falou um pouco mais sobre como foi o projeto em parceria com a FH foi Robledo Castro, IT Manager da DPaschoal que elogiou o nosso conhecimento nas ferramentas implementadas e achou essencial ter um mix de profissionais especializados dentro de casa, ajudando bastante no desenvolvimento do projeto.

Sobre a Solução Fiscal GUEPARDO, o IT Manager da AB Concessões, Antônio Valceni, considera a ferramenta consistente e aderente para o negócio, sendo extremamente importante e estratégica do ponto de vista fiscal!

Falando ainda da área fiscal, a IT Manager da Agrex do Brasil, Saadilla Carvalho só tem elogios ao Know-How que a FH possui em tributação, Nesta parte fiscal, essa complexidade que existe nas legislações brasileiras, e a gente acredita que por estar integrado com a solução GUEPARDO e o SAP e pelo Know-How da FH nós vamos ter sucesso!”.

Quem está extremamente satisfeito com os serviços prestados pela área de Outsourcing da FH é Nilson Busto, IT Manager do Demarest Advogados, que afirma ter escolhido a FH: “Primeiro, porque eles (FH) prestaram um bom serviço, segundo, que eles foram bastante parceiros e terceiro, que eu acho que quem vai herdar o suporte é a empresa que implantou, ou seja, se ele fez um bom trabalho, consequentemente ele vai colher um bom resultado no atendimento do suporte”.

Além disso, o Demarest foi o primeiro escritório de advocacia do Brasil a iniciar a transformação digital com a implementação do SAP S/4HANA, Busto afirma que alguns processos que a plataforma traz, como processamento em memória, compliance e integridade dos dados são elementos fundamentais para um ERP. Receber informações com agilidade e em tempo real, fazem os processos ficarem mais rápidos, agilizando todo o backoffice e auxiliando no objetivo de sempre de atender os clientes além da excelência jurídica e com qualidade nas informações prestadas.

”Não existe projeto fácil, todos eles têm seus desafios, mas a capacidade de lidar com esses desafios da FH é algo de bastante representatividade e muito importante para nós!”
Finaliza Robledo Castro, IT Manager da DPaschoal.

Pelos importantes depoimentos, agradecemos aos gestores dos clientes:

  • AB Concessões
  • Agrex do Brasil
  • Ciser
  • Demarest Advogados
  • DPaschoal
  • Grupo Petrópolis
  • Leroy Merlin
  • Neugebauer Alimentos – Vonpar

Confira no vídeo abaixo os depoimentos completos de cada um dos clientes FH e entenda por que somos a melhor parceira estratégica para seus próximos projetos!

Inteligência conectada ao negócio é saber aproveitar ao máximo a competitividade estratégica da sua empresa! A sua jornada de transformação digital passa por aqui!

 

 

 


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

LafargeHolcim dispara na frente e atualiza a Solução Fiscal GUEPARDO com o time de R&D da FH.


Postado em 26 de outubro de 2017 por FH
image-1

A LafargeHolcim é a principal empresa mundial de materiais e soluções para construção. Seus produtos atendem projetos que vão desde habitações com infraestruturas menores, até construções arquitetonicamente desafiadoras.

Dentre tantos desafios, a companhia se destaca pelo nível de detalhamento nas leis que regem suas atividades e, qualquer equívoco, pode resultar severas penalidades que afetam tanto a empresa, quanto aos envolvidos no segmento. Não é de hoje que a legislação brasileira é vista como uma das mais complexas do mundo.

Por isso, quando a LafargeHolcim definiu que era hora de atualizar a Solução Fiscal GUEPARDO, decidiu, inicialmente, que a atualização seria realizada pela equipe interna.

No entanto, apesar dos seus especialistas conhecerem ferramentas SAP, precisariam de uma familiaridade maior para lidar com o GUEPARDO e aplicar as respectivas notas técnicas, por isso a empresa optou por seguir com a atualização realizada internamente, porém com o suporte remoto e proativo do time de R&D da FH.

Com o ganho de produtividade oportunizado pela rápida atualização, a companhia pode dedicar-se a sua atividade fim e fazer com que a superação das diretrizes do Fisco se transforme em uma ação rotineira.

Conheça os principais benefícios operacionais desta atualização da Solução Fiscal GUEPARDO:

  • Compliance contábil fiscal que reflete em benefícios 360º na organização;
  • Foco nas atividades fim e que geram valor ao negócio;
  • Governança nas aplicações;
  • Atualizações que duravam 3 semanas passam a durar horas;
  • Parceria e comprometimento na resolução de chamados técnicos, com apoio assertivo;
  • Compartilhamento de conhecimento técnico e tributário;
  • Melhoria nos processos;
  • Processos complexos são resolvidos com planejamento e excelência;
  • Atividades manuais passíveis a erros foram reduzidas;
  • Possibilidade de ver e analisar resultados.

Clique aqui e conheça o case completo!


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Publicada a versão 3.0.7 do programa da Escrituração Contábil Fiscal (ECF)


Postado em 25 de outubro de 2017 por FH
image-1

Foi publicada a versão 3.0.7 do programa da Escrituração Contábil Fiscal (ECF), com a correção do erro na transmissão de arquivos.

O programa validador da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) versão Java pode ser utilizado nos sistemas operacionais abaixo, desde que obedecidas as seguintes instruções:

1) A máquina virtual java (JVM), versão 1.8, deve estar instalada, pois o programa desenvolvido em Java não pode ser executado sem a JVM.

A Máquina Virtual Java poderá ser baixada acessando o site http://www.java.com/pt_BR/download/manual.jsp.

2) Selecione o programa de acordo com o sistema operacional, faça o download e o instale:

A) Para Windows:

SpedEcf_w32-3.0.7.exe

B) Para Linux:

SpedEcf_linux-3.0.7.bin

Para instalar, é necessário adicionar permissão de execução, por meio do comando “chmod +x
SpedEcf_linux-3.0.7.bin”, “chmod +x SpedEcf-3.0.7_Linux.bin” ou conforme o Gerenciador de Janelas utilizado.

Fontes: SPED , Receita Federal Brasileira


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

FH aposta no mercado internacional


Postado em 20 de outubro de 2017 por FH
image-1

A internacionalização tem sido um dos investimentos da FH, que recentemente abriu um escritório em Madri, na Espanha. Ao todo, foi investido R$ 1 milhão, tanto na estrutura local quanto nas atividades que envolvem as operações de vendas. Emilio Osete, Gerente da Unidade de Negócios da Espanha (FH), destaca a força do mercado europeu. “A Espanha é o terceiro mercado da Europa em potencial de consultoria, e, em SAP, especificamente, é um dos mercados mais maduros. Acreditamos que, em um prazo de dois anos, teremos um crescimento expressivo. Além disso, o mercado espanhol abrirá portas para a entrada em demais países, como Alemanha e Holanda”, afirma.

Com a maior capacidade instalada do Brasil para projetos omnichannel e com as melhores soluções de comércio eletrônico, a principal aposta da FH na Europa é o SAP Hybris. Inclusive, a companhia é reconhecida como uma das únicas empresas no mundo e a primeira da América Latina a possuir todas as certificações SAP Hybris – Sales, Pre Sales, Core, Commerce, Business Analyst e PCoE, além do selo SAP Recognized Expertise em – Hybris Commerce, S/4HANA e Hybris Cloud for Customer.

Atenta às tendências e oportunidades que revolucionam a experiência de compra do cliente em um cenário omnicanal, a FH participa como patrocinadora gold do SAP Hybris Live: Global Summit 2017, maior evento mundial sobre SAP Hybris, que ocorre entre os dias 17 e 19 de outubro em Barcelona, na Espanha. Na ocasião, o Diretor de Operações Internacionais da companhia, Martin Strempfer, o Gerente da Unidade de Negócios (Espanha), Emilio Osete, e o Gerente da Unidade de Negócios Technology (Espanha), Willy Möller, estarão presentes para acompanhar as inovações que têm revolucionado a experiência entre empresas e clientes.

Fonte: Mirian Gasparin – Economia & Negócios


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Publicada a versão 2.1.4 da EFD Contribuições


Postado em 16 de outubro de 2017 por FH
image-1

Publicada a versão 2.1.4 da EFD Contribuiçóes com correções do erro no registro 1020.

Fonte: SPED


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Empresas se unem para reaproveitar matéria-prima e tirar acordo do papel


Postado em 11 de outubro de 2017 por FH
image-1

Com 12 empresas associadas, a Abinee (que reúne a indústria de eletroeletrônicos) criou a Green Eletron,
primeira gestora da cadeia de reciclagem do setor.

HP, Samsung, Apple, Lenovo e Embraco, entre outras, integram a entidade, que tenta unificar ações no setor e avançar no acordo nacional.

“Processamos de 300 a 400 toneladas por mês. Reaproveitamos 95% dos materiais eletrônicos, que voltam como matéria-prima para a indústria”, diz Mileide Cubo, gerente de operações da Sinctronics, uma das recicladoras parceiras da Green Eletron.

Processamento de lixo eletrônico na Sinctronics, empresa especializada nesse tipo de resíduo.

Mesmo com alta de 30% no volume de reciclagem em 2016, a Sinctronics usa apenas um terço de sua capacidade. “Há espaço para processarmos mais e  empregarmos mais”, diz a gerente da empresa, em Sorocaba (99 km de São
Paulo).

O Brasil ainda não tem tecnologia para reaproveitar placas eletrônicas, que acabam sendo exportadas para Canadá, Bélgica, Alemanha, Japão e Cingapura, onde metais preciosos são recuperados. “Fazemos a trituração e a separação de metais ferrosos, cobre e alumínio. Dos dez passos necessários, fazemos três. Em breve, vamos ampliar para sete”, diz Cubo.

A Nat.Genius, unidade de negócios para logística reversa da Embraco (que faz compressores para refrigeração), processou quase 11 mil toneladas de material nos últimos dois anos.

“Recebemos todos os tipos de eletroeletrônicos e aplicamos processos de engenharia para reutilizar tudo. Nada vai para os aterros”, afirma Luiz Berezowski, gerente sênior do Nat.Genius, que tem duas fábricas em Joinville (SC) e 70 funcionários.

Houve aumento de 39% na reciclagem de aço e 30% na de plásticos entre 2015 e 2016. “Peças com até 30 anos de uso viram matéria-prima para ventiladores, exaustores e até espremedores de suco.”

A Nat. Genius também é procurada por fabricantes para discutir como projetar produtos mais fáceis de reciclar no futuro. Também presta consultoria sobre redução dos custos de reciclagem. “É olhar o resíduo como valor. E não como algo que incomoda e que deve ser despachado para o aterro sanitário.”

O executivo destaca que, além de questões tributárias e de falta de incentivo, há dificuldades logísticas para fazer a reciclagem “pegar” no país. “Buscar materiais no Acre é diferente de buscar em SP”, afirma Berezowski.

Para ele, há também necessidade de mudar comportamentos para conquistar o engajamento do consumidor.

Uma das soluções defendidas pelo Instituto Gea, que trabalha com catadores, é que os municípios se envolvam no processo de reciclagem, o que inclui a criação de pontos de coleta e a formalização e qualificação de cooperativas
para colaborar nessas mudanças.

“São mais de 5.000 municípios no país. A criação de pontos municipais de coleta, em parceria com as cooperativas, facilitaria o escoamento do material e geraria renda”, diz Ana Maria Luz, presidente do instituto.

O Brasil precisaria investir cerca de R$ 12 bilhões até 2031 para criar uma estrutura adequada para dar destino apropriado a todos os tipos de resíduos sólidos de todos os segmentos, incluindo eletrônicos, segundo um estudo da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) em parceria com a consultoria GO Associados.

Para bancar os custos de construção e manutenção de usinas de reciclagem no país, outros R$ 16 bilhões por ano seriam necessários.

Fonte: Folha de São Paulo


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Página 1/18 | Próxima | Última