Nova DIRF traz novas responsabilidades


Postado em 27 de abril de 2016 por blogfh2016
image-1

Fábio Negrini é Gerente de Novos Desenvolvimentos da Solução Fiscal

 

Vem ano, vai ano e a quantidade de tributações só aumenta. Empreender já é um grande desafio e quando o assunto é gerenciar impostos, esse desafio fica ainda maior.

 

Dentre os impostos, todo ano as pessoas físicas e jurídicas que pagam ou creditam rendimentos com retenção de IR e as empresas que contratam serviços com retenção de PIS, COFINS e CSLL entregam um demonstrativo para a Receita Federal Brasileira que inclui a relação de todos os salários pagos aos colaboradores, os impostos de renda retidos na fonte, as situações sem retenção na fonte, o valor distribuído aos sócios da empresa – tanto a título de pró-labore quanto de distribuição de lucro – e os pagamentos para serviços de terceiros sem vínculo empregatício com nota fiscal. Essa relação se chama Declaração sobre o Imposto de Renda Retido na Fonte, mais conhecida como DIRF.

 

À medida que os anos passam, a complexidade das informações aumenta e este ano não será diferente. Em 2010 foram incluídos rendimentos isentos, pagamentos ao exterior, tributações exclusivas, despesas com planos de saúde. Agora em 2016, as novidades estão ligadas à apresentação de pagamentos realizados às operadoras de planos de saúde na modalidade coletivo-empresarial.

 

Tendo em vista que o detalhamento das informações exigidas pelo Fisco, bem como a complexidade das operações com fornecedores refletem diretamente em todas as etapas para a entrega da DIRF. Ou seja, tudo indica que após a chegada do SPED Reinf, o controle das operações precisará ser ainda maior.

 

Para garantir a entrega segura destas informações o segredo é automatizar as apurações através de uma solução fiscal integrada flexível que, a partir das operações da empresa, apure todas as retenções, calcule os vencimentos, rastreie todas as informações por meio de relatórios analíticos e gere guias de recolhimento com memórias de cálculo, sem sacrificar a produtividade da empresa. O gerenciamento periódico das memórias destas informações fará com que a geração da DIRF ocorra de maneira rápida, eficiente e livre de divergências entre o que está sendo declarado e o que ocorreu dentro da sua organização. Desde modo, gastos extras com retrabalho e multas são descartados.


Compartilhar!
Share on LinkedIn0Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Seja o primeiro a comentar!

Deixe um comentário!
Assinar Newsletter