junho 2019 | FH Brasil

EFD-Reinf 2.0: Eventos e orientações de envio


Postado em 19/06/2019 por asilveira
image-1

A EFD-Reinf é a declaração do SPED que visa informar as retenções na fonte do contribuinte, ou seja, através do envio dessa obrigação é possível fazer um levantamento de tudo o que é retido na nota fiscal.

De modo mais simplificado, isso significa que, quando uma empresa contrata mão de obra terceirizada para realizar qualquer tipo de serviço, ela não paga o valor do INSS na nota fiscal, mas retém um valor que deve ser repassado para o governo (retenção do imposto de renda).

A empresa terceirizada, por sua vez, precisará informar o valor recebido pelo serviço e quanto ficou retido, conforme os dados da nota fiscal emitida. Esses dados serão enviados em forma de “eventos” na EFD-Reinf 2.0, onde a empresa tomadora de serviços é identificada pelo evento R2010 e a empresa que ofereceu/prestou o serviço é identificada pelo evento R2020.

A RFB, ao receber esses eventos, fará uma comparação a fim de verificar se o valor da retenção informado pela empresa R2010, bate com o valor informado pela empresa terceirizada, no caso a R2020.

Sequência de envio dos eventos

Cada registro da Reinf 2.0 contempla um leiaute com informações diferentes. Você já deve ter lido aqui no blog da FH, que o primeiro arquivo a ser gerado é o R-1000, pois nele constam as informações cadastrais do contribuinte.

Esse registro pode ser enviado uma única vez e somente quando houver alteração nas informações apresentadas nele, o envio deve ser refeito.

A sequência de eventos deve seguir o fluxo abaixo:

 

Se os dados enviados terão fiscalização ativa entre os eventos R-2010 e R-2020, é fundamental que a comunicação entre os setores ligados a contratação de serviços esteja bem alinhada para evitar o recolhimento de informações equivocadas entre o tomador e o prestador do serviço.

Lembra daquelas notas esquecidas ou perdidas? Pois é, elas podem render multas com juros e mesmo que sejam enviados arquivos de retificação, o fisco poderá rejeitar os eventos informados com data de emissão contrária ao mês corrente.

No Ambiente Nacional, os eventos serão extraídos dos lotes e submetidos a validações quanto ao conteúdo e quanto aos outros eventos recebidos anteriormente.

Casos de notificação

Caso o contribuinte deixe de enviar ou envie com atraso ou incorreções, estará sujeito a multas conforme resumo a seguir:

Motivo Multa
não entrega ou entrega
fora do prazo
2%, referente ao mês calendário ou fração, incidentes sobre o montante dos tributos informados
informações incorretas/omitidas  R$20,00 para cada grupo de dez informações

 

Como transmitir os dados ao fisco?

Diferente das demais obrigações acessórias que são preenchidas e submetidas ao Programa Validador e Assinador (PVA), a EFD-Reinf depende de um serviço de mensageria que atenda ao leiaute de informações pré-estabelecidas pela Receita Federal.

Para aprimorar a eficiência dos processos, elevar a produtividade, reduzir custos e entregar a Reinf 2.0 com segurança, a FH criou uma solução de mensageria completa: o ECG – Enterprise Cloud Guepardo.

Além da entrega, o ECG proporciona um panorama geral dos eventos enviados, com dashboards gerenciais que vão desde o atendimento de obrigações fiscais até a análise, auditoria e automatização dos dados, atendendo de forma personalizada as necessidades de qualquer empresa.

Por ser comercializado como um serviço de armazenamento em nuvem, em casos de mudanças de leiaute ou regras de validação dos registros, a atualização da solução é automática, isentando seu negócio da responsabilidade de manutenção de hardware e aplicação.

Lembre-se que o leiaute 2.0 da EFD-Reinf exige envio mensal e com um volume de dados muito maior se comparado às demais obrigações, logo, a possibilidade de preencher os eventos com informações erradas ou imprecisas é grande. Contar com um sistema eficaz de mensageria como o ECG para fazer a apuração das informações antes do envio é essencial.

Você ainda tem dificuldades com o Bloco K?


Postado em 19/06/2019 por asilveira
image-1

O especialista em Gestão Tributária e na Solução Fiscal GUEPARDO da FH, Johney Laudelino da Silva, tem artigo publicado nos portais Dinelly ContabilidadeCuritiba IT, Channel 360º , Portal fator Brasil e Estadão, no  com o tema “Você ainda tem dificuldades com o Bloco K?”.

No texto, Johney fala das principais dificuldades encontradas na entrega do Bloco K da EFD ICMS-IPI  e dá dicas para descomplicar essa obrigação acessória, que é tão detalhista e minuciosa. Confira!

Conheça os mitos mais comuns sobre o consentimento na LGPD!


Postado em 19/06/2019 por abarcelos
image-1

A Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709/2018) veio para modificar totalmente o panorama do mercado de tratamento de dados pessoais no Brasil. Mas, por ter uma grande abrangência, afetando uma gigantesca parcela das empresas que atuam no país, sugiram muitas dúvidas e alguns mitos sobre a nova legislação. Vamos esclarecer alguns deles!

Consentimento é a hipótese mais importante na LGPD?

Um tema que levanta alguns questionamentos é a priorização das hipóteses previstas em lei para o tratamento de dados pessoais.

A legislação lista os dez princípios que devem ser observados para o tratamento:

# Finalidade;

# Transparência;

# Adequação;

# Prevenção;

# Necessidade

# Segurança;

# Livre acesso;

# Não discriminação;

# Qualidade de dados;

# Responsabilidade e prestação de contas.

A LGPD também traz as dez hipóteses que autorizam o tratamento de dados pessoais, e as que chamam mais atenção são:

# O consentimento;

# O cumprimento de obrigação legal ou regulatória do controlador;

# A execução de contrato ou procedimentos preliminares em que o titular é parte e a pedido deste;

# Os interesses legítimos do controlador ou de terceiros;

# A proteção ao crédito.

É mito! O consentimento é só uma das possibilidades já que não há hierarquia entre as hipóteses. Todas elas legitimam o tratamento de dados pessoais, sem ordem de preferência.

O consentimento é o que a lei descreve como “manifestação livre, informada e inequívoca, pela qual o titular concorda com o tratamento de seus dados pessoais para uma determinada finalidade” e por se tratar de uma autorização do titular, muitos passaram a pensar que ele se sobrepõe às demais hipóteses, o que não é verdade!

Transferência Internacional de Dados na LGPD só com o mesmo nível de segurança e consentimento? 

Outro tema que levanta questionamentos surge por conta da incompreensão de alguns aspectos da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais é a transferência internacional de dados, e de que ela somente poderia ser realizada para países que possuam nível de proteção similar ao assegurado pela legislação ou por meio do consentimento do titular.

É mito! Não são somente o nível de proteção e o consentimento! A lei lista nove hipóteses que autorizam a transferência internacional de dados, novamente sem hierarquia. Dentre elas estão o consentimento; a adequação do nível de proteção de dados do país receptor; garantias de cumprimento dos princípios, direitos e regime de proteção da LGPD em cláusulas contratuais, normas corporativas globais ou selos, certificados e códigos de condutas.

Como compreender a Lei Geral de Proteção de Dados e não acreditar nos “mitos”?

É natural que a abrangência da lei, seus efeitos e interpretação causem uma certa confusão já que são muitas exigências, parâmetros e deveres que as empresas têm! Por isso a FH preparou um material especial sobre a LGPD que você pode acessar clicando aqui embaixo!

Conheça os mitos mais comuns sobre o consentimento na Lei Geral de Proteção de Dados

Diretor da FH comenta como as empresas devem se preparar para a LGPD


Postado em 14/06/2019 por abarcelos
image-1

O Portal Brasil Alemanha News, entrevistou o Director of Business Unit FH, Sandro Stanczyk, sobre como as empresas precisam se preparar para a nova legislação de proteção de dados pessoais brasileira, a LGPD.

A Lei Geral de Proteção de Dados (lei n° 13.709/2018) tem por objetivo proteger os dados pessoais dos brasileiros e regulamentar as atividades que os utilizam. A lei entra em vigor em dezembro de 2020 e as empresas já estão em buscas de soluções tecnológicas que possam auxilia-las a ficar em conformidade com as novas regras, uma vez que a tecnologia vem para auxiliar desde a coleta até a gestão de banco de dados, por meio de plataformas digitais.

Quem deverá se adequar?

Stanczyk afirma que independentemente do porte ou segmento, as empresas deverão se adequar à nova lei de proteção de dados e que com o objetivo de oferecer ao mercado uma ferramenta completa na qual as companhias poderão gerenciar as informações de seus clientes nos canais digitais em compliance com a legislação, a FH criou o FH Data Protect by SAP Customer Data Cloud.

“A partir de 2020, as marcas terão que tratar as informações dos usuários com mais cuidado e transparência. Tudo deverá passar pelo consentimento do consumidor, conforme prevê o artigo 7º da LGPD”

Experiência e relacionamento

O diretor também analisa que as empresas precisam oferecer uma experiência única e personalizada aos clientes, a fim de conectá-los com suas marcas e também que devem construir relacionamentos confiáveis baseados no gerenciamento de consentimento, além de criar uma visão unificada do usuário que seja compartilhada por toda a empresa.

“A segurança no relacionamento com a marca é fundamental durante a jornada de compras. Há pesquisas que comprovam que 2/3 dos consumidores não confiam em passar suas informações pessoais às marcas. E como mudar esse cenário? As empresas precisam colocar seus clientes no centro, eles devem ser prioridade. Quando as marcas criam relacionamentos confiáveis com os consumidores, respeitando o consentimento dos mesmos, as taxas de conversões melhoram e, consequentemente, ocorre a fidelização”

Planejamento e suporte proativo são a chave para as entregas fiscais


Postado em 13/06/2019 por asilveira
image-1

 

Fernando Mafra, Delivery Manager da FH, foi destaque no Jornal Contábil, no Curitiba IT e no Portal fator Brasil, com o artigo: Planejamento e suporte proativo são a chave para as entregas fiscais.

No texto, Mafra explica que é importante sim investir na automatização de entregas fiscais, mas que um bom planejamento, aliado a um suporte proativo eficiente é o que faz a diferença diante das mudanças e constantes atualizações deste cenário.

FH movimenta edição do ASUG Day com palestra da área fiscal


Postado em 11/06/2019 por asilveira
image-1

Nesta terça-feira (11) a FH foi até a cidade de Belo Horizonte -MG, para mais uma edição do ASUG Day, um evento de grande importância para discutir novas tendências em tecnologia.

Uma das palestras mais esperadas foi promovida pela FH, com o tema “Automação de entradas, retenções e EFD-Reinf 2.0 em ambientes SAP ECC, S/4HANA, TDF e ACR.” Os palestrantes Marcelo Passaglia e Calixto Herkert, apresentaram todo o processo para o atendimento aos novos registros exigidos pela RFB, combinando teoria e prática para realização de um bom projeto, independente do ERP utilizado pela empresa.

Dentre os itens abordados na palestra,  os tópicos que tiveram maior destaque foram:

  • Revisão dos processos;
  • Automação das entradas;
  • Apuração das retenções;
  • Ajustes e conciliações;
  • Geração e entrega dos eventos/registros exigidos pela obrigação.

Os participantes puderam sanar dúvidas e entender melhor o novo leiaute da EFD-Reinf para uma entrega livre de riscos. Consolidada no mercado e pronta para atender a ampla demanda, a FH destaca-se por estar sempre a frente quando o assunto é inovação e tecnologia, buscando as melhores práticas em suas atividades e excelência na entrega dos projetos.

Confira algumas fotos.

Sala lotada na palestra promovida pela FH.

Georgia Barbosa, Calixto Herkert, Laís Knauber, Nathália Schirmer e Marcelo Passaglia recepcionando os participantes.

Abertura da palestra com os especialistas da FH.

Palestrantes: Calixto Herkert e Marcelo Passaglia.

 

E-commerce deve crescer 17% em vendas no Dia dos Namorados


Postado em 07/06/2019 por abarcelos
image-1

A data mais apaixonada e uma das mais lucrativas do ano se aproxima e o varejo já tem suas projeções de vendas para mais essa data comercial do ano!

Namorados x Casados: Perfis divergentes.

Segundo dados do Google, 57% dos namorados e 49% dos casados pretende presentear namorados(as) ou companheiros(as) nesta data especial, com um ticket médio de R$377 para o primeiro grupo e R$424 para o segundo.

A pesquisa realizada pela gigante das buscas revela que namorados e casados possuem perfis de compra e comportamento completamente distintos, confira:

dia dos namorados 2019

Presentes diferentes para pombinhos diferentes

Com perfis de compra diferentes os casados e namorados também divergem nas preferências de produtos para presentear seus amados.

dia dos namorados 2019

Os namorados apostam em presentes mais tradicionais para a data como chocolates e flores, fazem suas pesquisas com mais de um mês a 15 dias de antecedência e 35% destes compram há uma semana da data, para não deixar para a última hora.

Já os casados investem mais em peças do setor de moda, pesquisam com uma semana de antecedência e revelam uma grande diferença do grupo anterior, 27% dos casados compra na véspera e 10% deixam para os 48 minutos do segundo tempo e compram no dia dos namorados.

O e-commerce no dia dos namorados

O digital tem presença relevante nessa data e segundo o Google, 30% dos que namoram e 37% dos casados, realizam a compra pela internet. O que eleva o número de downloads de apps de varejo geral em 7% e de apps de varejo de moda.

A previsão da Compre&Confie é que as vendas do Dia dos Namorados representem R$ 2,3 bilhões no e-commerce. A cifra representa aumento nominal de 8% em relação à data no ano anterior e ao todo, devem ser realizados 6 milhões de compras online, um aumento de 17% em relação ao ano anterior.

Quanto ao ticket médio a empresa estima que as compras devem ser de R$ 389,17 – valor 7,5% menor do que o registrado no mesmo período de 2018. O Google, um pouco mais otimista, projeta que as compras serão de R$418,00.

Seu e-commerce é apaixonante?

Sua empresa se preparou para essa data tão simbólica para os casais e tão importante para o mercado?

Seu negócio precisa contar com uma plataforma completa e integrada, que proporcione uma experiência única em todos os pontos de contato, sugira os melhores produtos automaticamente, e possibilite um amplo leque de possibilidades de interação com seu consumidor, gestão de campanhas, tickets de atendimento, integração com redes sociais e muito mais!

Conheça o SAP C/4HANA! A mais poderosa ferramenta de vendas e relacionamento disponível no mercado e que é perfeita para o seu varejo!

A FH possui a maior capacidade instalada do Brasil para projetos omnichannel e é a primeira empresa da América Latina a conquistar todas as certificações SAP C/4HANA!

Converse com a gente, implemente ainda esse ano e tenha um Dia dos Namorados completamente diferente em 2020!

EFD-Reinf 2.0 – Dicas para não errar na entrega


Postado em 06/06/2019 por asilveira
image-1

Desde junho de 2018, a entrega da EFD-Reinf já faz parte da rotina fiscal de muitas empresas, entretanto, a dificuldade para gerar corretamente os eventos ainda é grande e com a chegada do leiaute 2.0, o processo deverá ficar ainda mais complexo.

Confira abaixo alguns pontos de atenção para uma entrega segura.

Envio 

O envio dos eventos ao SPED é mensal e deve ocorrer até o dia 15 de cada mês, sendo assim, se as informações forem referentes ao mês de abril/2019, deverão ser transmitidas até o dia 15 de maio de 2019, e assim sucessivamente.

A quantidade máxima de eventos permitidos por lote para envio da EFD-REINF é de 100 (cem) eventos.

Importante: Se o último dia do prazo previsto no caput não for considerado útil, a entrega da EFD-Reinf deverá ser antecipada para o dia útil imediatamente anterior.

Evite enviar eventos simultâneos durante o processamento do fechamento R-2099, pois eles não serão aceitos pelo sistema, a medida foi gerada para garantir a integridade dos dados.

 Ordem de envio dos eventos

O evento R-1000 – Informações do Contribuinte, deve ser o primeiro a ser enviado.

Para os demais, se houver neles referência a algum processo judicial ou administrativo, é necessário enviar antes o evento R-1070 – Tabela de Processos Administrativos/Judiciais, com as informações do respectivo processo.

Os eventos podem ser transmitidos separados ou em lote (exceto o evento R-2099, este deve ser enviado individualmente).

Preenchimento das informações

Cada evento possui uma estrutura própria e o SPED confere se a versão do leiaute utilizado é a correta, por isso, fique atento. A alteração do leiaute de um determinado tipo de evento não afeta a versão dos demais.

Grupos de envio

Entidades que tiveram faturamento acima de R$ 78 milhões em 2016 (grupo 1) já estão realizando o envio da EFD-Reinf desde maio de 2018. Entidades com faturamento inferior a R$ 78 milhões em 2016 (grupo 2), começaram a entregar em fevereiro de 2019 e a partir de julho, um novo grupo de empresas entra no cronograma da RFB.

Micro e pequenas empresas, MEIs, Simples Nacional (optantes em 01/07/2018), Empregador Pessoa física, Produtor Rural PF e entidades sem fins lucrativos, que tiveram faturamento anual de até 4,8 milhões em 2016, compõem o grupo 3 e tem até o dia 15 de agosto para envio dos eventos competentes ao mês julho.

Importante: o faturamento informado compreende ao total da receita bruta.

O desenvolvimento da REINF 2.0 já começou na FH

Entregar a EFD-Reinf 2.0 pode ser mais fácil se a sua empresa é parceira da FH. A Solução Fiscal GUEPARDO já está apta para entregar essa obrigação de acordo com as diretrizes do novo leiaute, se você já é cliente basta solicitar a atualização da versão.

guepardo

REINF 2.0 – Eventos novos e a fragmentação do registro 2070


Postado em 04/06/2019 por nschirmer
image-1

 

A exigência de informações cada vez mais detalhadas do SPED faz com o que a área fiscal esteja em constante atualização, com desafios frequentes aos profissionais da esfera contábil e fiscal.

A EFD-Reinf 2.0, que entra em vigor para as empresas do grupo 3 a partir de julho, é um exemplo disso. O novo leiaute conseguiu deixar o processo ainda mais complexo, com um novo conjunto de eventos referente as informações de retenções na fonte devido a fragmentação do evento R-2070.

Foram criados 5 novos eventos para prestação de informações referente à nova série R-4000:

  • R-4010 – Retenções na Fonte – Pessoa Física
  • R-4020 – Retenções na Fonte – Pessoa Jurídica
  • R-4040 – Retenções na Fonte – Beneficiários não identificados
  • R-4098 – Reabertura dos Eventos Periódicos – Série R-4000
  • R-4099 – Fechamento dos Eventos Periódicos – Série R-4000

A série R-9000 recebeu 4 novos eventos:

  • R-9001 – Informações de bases e tributos por evento (antigo R-5001)
  • R-9011 – Informações de bases e tributos consolidadas por período de apuração (antigo R-5011)
  • R-9002 – Informações de bases e tributos por evento – Retenções na fonte
  • R-9012 – Informações consolidadas de bases e tributos – Retenções na fonte

Para enviar as informações desta obrigação, o contribuinte precisa gerar eventos em arquivos eletrônicos assinados digitalmente, utilizando o e-CNPJ do contribuinte ou o e-CPF de seu representante legal ou procurador.

A quantidade de eventos e de informações solicitadas agora é muito maior e a necessidade de ferramentas para apoiar nas várias fases do processo é primordial.

Contar com uma solução fiscal que contemple todos os campos e informações necessárias para correta geração dos eventos reduz em até 80% o impacto das alterações publicadas pelo SPED, facilitando a entrega e garantindo a confiabilidade da base de dados enviada.

Prepare-se para a REINF 2.0 com a FH

A Solução Fiscal GUEPARDO já está apta para entregar essa obrigação de acordo com as diretrizes do novo leiaute, se você já é cliente basta solicitar a atualização da versão. Se você ainda não é um parceiro FH, fale com nossos especialistas e saiba como a solução fiscal que mais recebeu certificações da SAP pode ajudar o seu negócio.

Solução Fiscal GUEPARDO

 

Página /