agosto 2020 | FH Brasil

Ciser implementa loja digital com a FH!


Postado em 28/08/2020 por abarcelos
image-1

A FH é destaque nos portais Baguete, Rede Press, SEGS, Click Paraná, ND+ e Home Center View com o projeto de loja digital para o cliente Ciser, um dos maiores players do mercado de fixadores da América Latina.

Para o projeto foi escolhida a plataforma SAP Customer Experience no seu módulo SAP Commerce Cloud, implementada pela FH em parceria com a agência de comunicação BriviaDez e foi desenvolvido em conjunto com as áreas de marketing, vendas e tecnologia da informação da Ciser.

O lançamento da loja online, iniciativa inédita na indústria de fixação, reforça o posicionamento da marca — já reconhecida pela inovação de seus produtos e, agora, em processos  —, ao ser a primeira empresa do segmento de fixadores a oferecer um canal digital para compras online

O planejamento da Loja Ciser se iniciou no final de 2019 e tinha previsão para conclusão em dezembro deste ano. Porém, com a mudança de hábitos de consumo e comportamentos dos clientes, devido à Covid-19, a empresa decidiu acelerar o processo e antecipar o lançamento do canal. A loja online faz parte do planejamento estratégico digital da Ciser, rumo à indústria 4.0. 

Aproveitamos a mudança no comportamento das pessoas para antecipar algo que já estava latente em nossa estratégia de canais de vendas, que é a ampliação para o ambiente digital. […] Estar presente no meio digital é essencial para manter a Ciser como referência no mercado e expandir nossos negócios. Foi e tem sido um desafio transformador para a companhia. Atuar neste ambiente é fundamental para Ciser continuar sendo referência e líder no seu segmento.

Renato Fiore, gerente geral de Vendas e Marketing da Ciser.

A nova ferramenta tem como objetivo facilitar a vida dos clientes, simplificando processos e reduzindo tempo de cotação e compra. A partir do acesso ao endereço online, o sistema permite que, independentemente da localização ou do tipo de dispositivo utilizado, o cliente consiga colocar pedidos ou consultar informações sobre os produtos de uma forma ágil, intuitiva e inteligente.

Com total segurança e sigilo das informações fornecidas, o canal fica disponível 24 horas, nos sete dias da semana. Nele, também é possível realizar consulta de preços e tributos online, em tempo real, uma vez que a plataforma está integrada ao SAP, sistema integrado de gestão empresarial (ERP) da Ciser.

Diretor da FH comenta sobre como as empresas devem se preparar para a LGPD


Compartilhar!
[ssba]

IMPOSTO DIGITAL: entenda a proposta e como ela pode afetar a economia


Postado em 28/08/2020 por asilveira
image-1

Apesar de ter em seu nome de batismo a palavra digital, o novo imposto terá um alcance bem mais amplo e poderá tributar sob todas as transações financeiras da economia. A princípio o imposto digital terá a alíquota de 0,2% e a estimativa de arrecadação gira em torno de R$120 à 240 bilhões.

A assessora especial do Ministério da Economia, Vanessa Canado, explica que a legislação está sendo desenhada para atender ao mundo digital e que a ampliação da base de arrecadação do novo tributo vai facilitar o rastreamento de pagamentos.

Embora seja defendido por Guedes como uma forma de simplificar e reduzir tributos, muitos já apelidaram o novo imposto de “CPMF Digital” ou “Nova CPMF”. Especialistas alertam para um efeito cascata negativo na economia devido à grande possibilidade de aumento nos preços para o consumidor final, já que afeta todas as etapas da cadeia financeira.

Outra polêmica que envolve o novo tributo é referente a forma de arrecadação, ele seria cobrado igualmente de todos, independente da faixa de renda. Para alguns especialistas, esse modelo afetaria e penalizaria principalmente aqueles que tem menor renda.

Já Paulo Guedes, argumenta que esse modelo de arrecadação seria o mais democrático, por cobrar um valor igualitário de todos, e que tende a afetar pessoas com renda mais alta, pois movimentam quantias maiores virtualmente. O ministro também pretende usar uma parte do dinheiro arrecadado com o novo tributo para bancar o Renda Brasil, um programa social criado pelo governo para substituir o Bolsa Família.

Mais detalhes da ampliação da base de incidência do novo tributo serão apresentados no próximo envio da proposta ao congresso.


 

Fonte

G1  e Valor Econômico.


Compartilhar!
[ssba]

Dos assistentes virtuais aos robôs amigáveis: como a inteligência artificial transforma a relação com o cliente?


Postado em 28/08/2020 por abarcelos
image-1

Por Rodrigo Kruger*

Ninguém mais estranharia ser atendido por um assistente virtual ao acessar uma loja via internet ou aplicativo pelo celular. A maioria das pessoas já ouviu falar na Siri, na Alexa, na Lu, na Bia – essas são algumas das mais conhecidas assistentes virtuais que se relacionam com os clientes.

O fato é que, cada vez mais, grandes empresas têm apostado na inteligência artificial para melhorar a interação com os consumidores. Muitas vezes, são vozes femininas, bem-humoradas e que sempre estão prontas para resolver problemas e processos de atendimento em geral.

O interessante é que, com o tempo, esses “personagens” têm sido humanizados, a ponto das pessoas se identificarem e não sentirem que estão sendo atendidas por uma máquina.

Esse modelo de atendimento foi popularizado a partir de 2011 e, até 2021, estima-se que 25% dos profissionais usarão diariamente assistentes virtuais empresariais, segundo estudo do Gartner.

Além dessas assistentes virtuais, soluções que combinam inteligência artificial e machine learning possibilitam a criação de avatares/robôs, que também imitam as pessoas na execução de tarefas. Entre elas está uma plataforma, que chamamos de digital human – é um robô, que possui alguns comportamentos humanos.

Esse robô tem habilidades para fazer o reconhecimento facial e de voz, para acompanhar o movimento dos olhos e as expressões faciais, fazer leitura de gestos, entre outras movimentações.

Uma das aplicações da plataforma digital human é, justamente, a de uma assistente de vendas – a Mia. Inclusive, foi feito um projeto piloto com a Kia Motors, na Dinamarca, em que o robô está sendo utilizado nas concessionárias para a revenda de automóveis.

A Mia consegue fazer parte do atendimento ao cliente e, mais do que isso, pode entender as emoções dele. Ela pode, por exemplo, prestar as informações sobre determinado modelo de veículo, as tecnologias que a empresa utiliza para o mesmo, mostrar vídeos educativos, em relação ao uso dos carros da marca, e até lembrar do que conversou, caso reencontre essa pessoa. São tecnologias que suprem as necessidades do novo consumidor, cada vez mais digital e que deseja obter informações mais precisas e não superficiais.

Não para por aí, a outra aplicação desse avatar é destinada ao trabalho de recepcionista. O robô faz a identificação de determinada pessoa que chega até a empresa, encaminha a mesma para a sala de reuniões, a coloca em contato com o colaborador que está aguardando por ela, recebe correspondências. Enfim, são avatares que auxiliam o trabalho das pessoas no dia a dia, quanto à execução de algumas de suas funções, fator que possibilita que as mesmas tenham mais tempo para se dedicarem a outras tarefas que exigem a inteligência humana.

Em breve, as pessoas poderão ver um robô ou assistente de voz fazer uma reunião com os executivos da empresa e, posteriormente, mandar um relatório por e-mail, verificar tarefas para o dia e agendar compromissos para eles.

*Rodrigo Kruger é Delivery Manager da FH

Fontes: Giro News, Falando de Varejo e Curitiba IT

1.958 horas: é o tempo que o Brasil gasta calculando impostos, média global é 206.


Postado em 24/08/2020 por asilveira
image-1

O Brasil possui um dos sistemas tributários mais complexos do mundo, segundo relatório do Banco Mundial (Doing Business 2019), uma empresa leva, em média, 1.958 horas calculando impostos, enquanto a média global fica em torno de 206 horas anuais.

A principal diferença está na forma como o governo arrecada, por exemplo, enquanto na maioria dos países é cobrado apenas um tributo para o consumo, no Brasil são cinco: PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS. Além disso, cada estado possui uma legislação própria e, consequentemente, cada município terá normas específicas a cumprir.

Em 30 anos, entre a promulgação da Constituição de 1988 e 2018, o Brasil editou, em média, 390 mil normas tributárias. São 13 mil por ano, o que significa três novas decisões ou diretrizes editadas a cada duas horas, durante 365 dias, por três décadas seguidas.

A probabilidade de erro no envio das informações é muito grande, ainda mais quando são editadas cerca de 13 mil normas por ano. Logo, o risco de ser penalizado com o pagamento de multas também se eleva.  Centenas de empresas estão na lista de devedores da Receita, a dívida soma mais de 500 bilhões de reais.

Das 444 empresas listadas na BV em dezembro de 2017, 95 estavam na lista de devedores da Receita. Das 95 empresas listadas e tidas como devedoras, 20 são do ramo de consumo cíclico ou discricionário, como lojas de roupas, hotéis, lazer e restaurantes, seguida pelas de utilidade pública, bens industriais e financeiros.

Dados como esses evidenciam que ainda há muito a ser feito em termos de governança tributária nas empresas.

 

Descubra como sua empresa pode fazer a apuração de impostos em duas horas!

 

Apesar de toda a burocracia, é possível facilitar a prestação de contas à Receita Federal com a automatização do envio das obrigações.  O uso de softwares para realização de entregas fiscais não só agiliza a geração dos arquivos, como também facilita o controle e o acesso às informações, gerando relatórios que viabilizam novos insights e que podem ser utilizados como parte do planejamento estratégico da empresa.

Com ganhos na velocidade e na capacidade analítica, é possível direcionar esforços nas atividades que realmente interessam ao negócio, seja aprimorando processos já existentes ou identificando oportunidades para otimizar a carga tributária.

Como posso melhorar a gestão tributária na minha empresa?

Aproveitar os benefícios que a tecnologia pode fazer pelo seu negócio é oferecer ferramentas colaborativas para maximizar o rendimento das ações do dia a dia. A FH está revolucionando as entregas fiscais de grandes empresas com um software completo, que realiza o tratamento e a apuração dos diversos tributos com agilidade e eficiência.

A Solução Fiscal GUEPARDO atende com total segurança as demandas do fisco brasileiro, proporcionando as empresas uma rotina mais ágil, intuitiva e segura. Instalada como um módulo Add-On no sistema SAP, complementa todo o processo de apurações via menu standard, disponibilizando também consultas e relatórios para conciliação nos formatos exigidos pelo SPED ou conforme as demandas fiscais.

Sua expertise fiscal é comprovada pela certificação SAP TDF, onde atendeu os cenários do SPED de forma completa e com aprovação em TODOS os requisitos exigidos no Certification Test Plan da SAP.

Por oferecer uma visão 360° de toda a operação, a Solução Fiscal GUEPARDO, da FH, é considerada a melhor opção para atender o fisco brasileiro e está presente em mais de 1000 grandes grupos econômicos.

Entre em contato e saiba como diminuir custos e horas gastas em gestão sem perder a qualidade das entregas.

Como fica o ICMS na reforma tributária?


Postado em 20/08/2020 por asilveira
image-1

A FH é destaque nos portais Legis Compliance, Fator Brasil e Notícias Fiscais, com artigo assinado pelo especialista em gestão tributária da FH, Johney Laudelino da Silva , sobre um dos principais tributos do país, o ICMS.

Johney, contextualiza o momento atual e apresenta outros pontos sobre a reforma tributária enviada ao congresso. Confira a matéria na integra no link abaixo.

Ministério da Economia anuncia o fim do Siscoserv


Postado em 18/08/2020 por asilveira
image-1

O futuro da sistemática de controle da importação e exportação de serviços, intangíveis e outras operações, chamada de Siscoserv, teve seu desfecho.

As Secretarias Especiais de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint) e da Receita Federal do Brasil (RFB) do Ministério da Economia, informaram nesta segunda-feira (17) a descontinuidade do Siscoserv, como parte do processo de desburocratização, facilitação e melhoria do ambiente de negócios promovido pelo governo federal.

No mês de julho (2020), o Ministério da Economia já havia noticiado que, devido à pandemia de Covid-19, o programa seria suspenso até o final do ano para poupar os recursos públicos consumidos com seu funcionamento. De qualquer maneira, as empresas continuariam tendo de carregar esse fardo burocrático, mantendo os custos para ter o controle das informações, já que os lançamentos voltariam a ser exigidos no início de 2021.

Agora, com o desligamento definitivo do programa, os exportadores e importadores de serviços não precisarão mais alimentar as informações no sistema. O Ministério da Economia ressalta que que não haverá qualquer prejuízo quanto à divulgação das estatísticas que compõem o balanço de pagamentos ou às ações de fiscalização tributária, uma vez que essas informações são levantadas com base em dados que já são apresentados ao governo em outras obrigações.

Fonte: Ministério da Economia e Estadão.

FH é destaque em Pesquisa ISG pela ascensão no mercado de implementação do SAP S/4 HANA


Postado em 11/08/2020 por lknauber
image-1

Posicionamento da empresa aponta para a aceleração da transformação digital, integração da cadeia produtiva e elevação do portfólio. Dos 29 parceiros da SAP avaliados no estudo, seis são líderes e duas são estrelas em ascensão, como a FH.

A FH, destacou-se no relatório da ISG Provider Lens – “SAP HANA and Leonardo Ecosystem Partners – Brazil 2020”, prestigiado levantamento do universo de tecnologias SAP, ocupando a liderança de mercado em dois quadrantes: SAP S/4 HANA System Transformation – Midmarket e Managed Application Services for SAP ERP. Outro grande destaque da FH foi sua posição de Rising Star no quadrante SAP S/4 HANA System Transformation – Large Accounts.

A pesquisa analisou os 29 parceiros que tinham capacitação e certificações SAP S/4HANA, com casos de implementação e níveis de parceria diversificados, como Gold e Platinum. “O relatório aponta o preparo e as qualificações destes parceiros para projetos SAP, sendo um termômetro importante para a tomada de decisão das áreas de TI das empresas”, afirma Pedro Maschio, analista e um dos autores do estudo, que coletou opiniões e números fornecidos pelos parceiros SAP.

A posição no quadrante de Large Accounts mostra capacidade de consultorias e prestadores de serviços de integração de sistemas para desenvolvimento, implementação e testes de aplicações com o SAP S/4 HANA. Já o quadrante de Midmarket analisa a capacidade de oferecer uma rápida resposta às implementações do S/4 HANA para clientes em mercados intermediários, enquanto o quadrante Managed Application considera a capacidade de oferecer serviços gerenciados, com funções de manutenção e suporte, para SAP S/4 HANA e SAP Business Suites.

“O estudo tem grande relevância para o mercado de TI pois ao apontar os níveis de maturidade a qualificação dos diferentes fornecedores, traz maior transparência ao setor e nos permite traçar uma estratégia mais assertiva para os negócios e de melhoria em nossos processos”, comenta Ricardo Fachin, CEO da FH. “Nesse contexto, ocupar a posição de Rising Star nos traz muito orgulho, pois é um reconhecimento do esforço e dedicação da equipe FH em contribuir diretamente com a transformação digital de grandes setores da indústria”, afirma.

O resultado confirma a perspectiva de crescimento sólido da FH e sua metodologia de entrega otimizada, que oferece ferramentas modernas para controlar os resultados de projetos em médias e grandes companhias. Segundo Fachin, a empresa vem investindo no desenvolvimento dos seus colaboradores para fornecer atendimento e entrega ainda mais personalizados. Entre os setores que foram destaque no período avaliado estão varejo, manufatura, agronegócio, serviços e finanças.

De acordo com o executivo, a FH pretende continuar trabalhando para consolidar ainda mais sua presença no quadrante de Large Accounts e fortalecer seu posicionamento em Midmarket e Managed Application Services nos próximos anos.

“Já em 2019, a FH vinha numa ascensão, mas, de lá para cá, solidificou sua posição em decorrência do crescimento e elevação no número de suas ofertas, além da expansão de sua cobertura geográfica, especialmente após sua aquisição pela itelligence”, completa Pedro Maschio. A itelligence é uma consultoria alemã líder mundial na venda de licenças SAP que integra o grupo japonês NTT Data.

ISG Provider Lens – Termômetro de mercado

Divulgado este mês, o levantamento aponta para uma tendência que muitos players do setor de tecnologia já esperavam: a aceleração da transformação digital pelas empresas, necessária especialmente no contexto trazido pela pandemia de Covid-19. As adoções do SAP S/4 HANA por meio de parceiros da SAP – para dar sustentação e agilidade às estratégias de negócios, integrações e garantir maior eficiência aos processos – aconteceram especialmente no segmento de médias empresas, automatizado ferramentas e estruturas que permitem projetos de transformação rápida.

O relatório ISG observou, ainda, pequenas alterações no mercado para grandes contas em 2020. Os participantes do estudo relataram não terem paralisado seus projetos e a continuidade dos negócios não é um risco para esses fornecedores. Outro aspecto positivo revelado pelo ISG é que os fornecedores estão otimistas e acreditam que possam vender projetos utilizando uma nova entrega de modelo, especialmente projetos on-line. 

Os resultados da FH estão disponíveis neste link!

Página /