abarcelos, Author at FH Brasil

SAP C/4HANA na DPaschoal: experiência do cliente melhorada e expansão de vendas


Postado em 12/12/2018 por abarcelos
image-1

A implementação do SAP C/4HANA realizada pela FH na DPaschoal foi destaque no Computer World,  Portal TI Bahia, Portal TI Inside, Portal SEGS e no Portal IP News.

Com a implementação do CRM, E-commerce e da Venda Assistida a empresa estima uma economia de R$ 700 mil ao ano com custo de sustentação do sistema legado, aumento de 10% nas vendas.

“Temos um perfil de venda consultiva, que começa com o atendimento online, passa pela loja, engajamento no pós-venda e manutenção do veículo. Devido a isso, buscávamos um atendimento unificado e com uma única plataforma (SAP C/4HANA) conseguimos fazer isso” Robledo Castro – Diretor de Tecnologia, Negócios e Inovação da DPaschoal

Clique aqui para ler a matéria na íntegra


Compartilhar!

Marketplace e as novas políticas para comércio eletrônico


Postado em 25/09/2018 por abarcelos
image-1

A FH  foi destaque nos portais E-commerce News, Jornal ContábilPortal Falando de VarejoPortal Panorama de NegóciosIT Forum 365 com o artigo “Marketplace e as novas políticas para comércio eletrônico” Director of Business Unit Technology da FH, Sandro Stanczyk.

O artigo apresenta algumas das vantagens do marketplace como forma de obter uma vantagem competitiva no mercado e proporcionar uma experiência singular ao consumidor!

“O marketplace é um modelo de negócio que reúne diferentes marcas em um único espaço e facilita a busca por melhores produtos e preços. Considerada uma inovadora ferramenta para comércio eletrônico, conecta clientes e varejistas de forma direta, aproveitando o alto fluxo de grandes e-commerces.

Se no e-commerce as operações de compra e venda são centralizadas, isto é, sai do fornecedor, passa pelo varejista e…”

 

Como uma reflexão sobre inteligência coletiva criou o novo slogan da FH!


Postado em 21/09/2018 por abarcelos
image-1

Códigos e soluções, feitos por pessoas para pessoas e que melhoram o mundo. Essa é a essência da nova comunicação da FH!

Explicar exatamente o que é ou faz a FH pode ser bastante complexo, afinal são 18 anos de história, 600 colaboradores, 8 escritórios e mais de 2000 projetos em 30 países.

Nos classificamos como uma empresa especialista em processos de negócios e software e possuímos unidades de negócio como: Fiscal, Consulting, Technology, Softwares FH e Outsourcing. Viu, é bastante coisa! Por isso era necessário deixar claro qual era a atividade da FH e qual era seu propósito.

A conclusão a que chegamos você pode conhecer no vídeo abaixo:

 

 

Nosso CEO, Ricardo Fachin, deixou bem claro, na carta que escreveu para todos os colaboradores, qual o significado do </coding4people> para a FH:

“Como impactamos o mundo em que vivemos? Qual é o nosso propósito? Estas perguntas tocam em temas fundamentais para o entendimento de qual é o propósito da FH e como estamos inseridos no contexto da sociedade. Para tentar respondê-las, podemos fazer uma reflexão sobre a inteligência coletiva (tipo de inteligência compartilhada que surge da colaboração de muitos indivíduos em suas diversidades) que construímos ao longo desses 18 anos de história, os benefícios para sociedade que sua aplicação produz e qual meio usamos para nos conectar com as pessoas. O meu desafio aqui foi escrever sobre o que somos, sem usar as palavras que recorremos no dia-a-dia ao falar de tecnologia e business.

“Inteligência envolve a habilidade para atingir objetivos. ”

A inteligência coletiva pode ser dividida em duas partes: uma com funções específicas, como por exemplo os softwares e hardwares, que fazem uso da informação disponível para executar tarefas específicas; e outra com aplicação mais ampla e interessante, que é a nossa capacidade de análise, criatividade e imaginação, para executar tarefas variadas em condições adversas.

Em uma empresa de tecnologia e negócios, como a FH, temos a oportunidade única de contribuir na construção, em ambas as partes da inteligência coletiva. Fazemos uso combinado do conhecimento e dos softwares para gerar as soluções que entregamos aos clientes. Ajudamos empresas a entregarem produtos e serviços melhores para as pessoas. Esta é a forma como impactamos positivamente o mundo em que vivemos.

Certo dia meu filho perguntou se eu ajudava as empresas a construírem carros. Para ter um tempo de respirar e organizar a próxima frase, respondi: “depende”. Com segurança emendei um “sim”, e fui explicando: ajudamos a empresa que faz as portas a garantir que não existam defeitos nas chapas, ajudamos a empresa que faz os freios, a que faz os rolamentos, a que faz os pneus, a que extrai o minério de ferro… Enfim, se pararmos para analisar, existe um pouco de nós e da nossa inteligência em muitas das coisas que vemos, usamos ou consumimos no dia-a-dia (bebidas, alimentos, moda, construção, eletrodomésticos, cosméticos, transporte, bancos, lojas físicas e virtuais).  

As soluções da FH carregam inteligência de forma codificada. Este é meio pelo qual nos conectamos com as pessoas e o mundo.

O novo slogan da FH – Coding 4 People – traduz a nossa essência – ajudar a construir um mundo melhor, pois acreditamos na humanização da tecnologia e porque as pessoas estão no centro de tudo o que somos e fazemos!”

A comunicação da empresa passa a ser mais amigável, contando com os elementos de códigos como [ ] e < >, com foco nas pessoas e na tecnologia. Nosso posicionamento é sempre entender as necessidades dos clientes, oferecendo produtos, serviços e oportunidades que mudem a vida das pessoas para melhor.

Nós somos a FH e o que fazemos é </coding4people>!

E-commerce cresce 12,1% no Brasil e fatura R$23,6 bi no 1º semestre de 2018


Postado em 04/09/2018 por abarcelos
image-1

Segundo o 38º Webshoppers, do Ebit/Nielsen apresentado nesta quarta-feira (29), o e-commerce brasileiro cresceu 12,1% no primeiro semestre de 2018 com relação ao mesmo período do ano passado. Esse aumento representa um faturamento de R$ 23,6 bilhões.

Dispositivos móveis

A última edição apontou que 32% das transações do e-commerce foram feitas por dispositivos móveis durante o primeiro semestre deste ano.

Com relação à pesquisa de 2017, houve aumento de 7,4%, o que significa que cada vez mais consumidores se adaptam às facilidades de compra por smartphones. Além disso, a Ebit/Nielsen estima que, até 2020, metade das compras online será feita por um dispositivo móvel.

Segundo Pedro Guasti, consultor de negócios da Ebit/Nielsen, o “m-commerce é impulsionado por categorias de menor ticket médio”.

Participação por categoria

Entre as categorias com maior volume de pedidos, Cosméticos e Perfumaria lidera o share de vendas online, com 15% de participação.

Já Moda e Acessórios, que era a líder tradicional, permanece praticamente estável, com 14,5% do share de vendas do e-commerce.

Segundo o relatório, o crescimento do setor de Cosméticos e Perfumaria no comércio eletrônico se deve, principalmente, ao fortalecimento da presença de grandes fabricantes desse tipo de produto no ambiente online.

“Temos visto um grande investimento da indústria de cosméticos no comércio eletrônico, com forte presença em marketplaces, assim como a ascenção das redes de perfumaria”, afirmou Guasti.

Perfil dos consumidores de e-commerce

O relatório também trouxe dados sobre o perfil dos consumidores e sua relação com o mercado online. A apuração revelou que, no primeiro semestre deste ano, 27,4 milhões de consumidores fizeram pelo menos uma compra online no Brasil. A alta é de 7,6% com relação ao mesmo período do ano passado. Para a empresa, este dado também está ligado ao crescimento da influência dos smartphones nas decisões de compra dos usuários.

Com relação ao número de pedidos em dispositivos móveis, houve crescimento de 41% entre os períodos comparados, tanto para bens de consumo duráveis como não duráveis.

O proporcional em volume de vendas (tanto para dispositivos móveis como para desktops) é de 8% a mais do que o primeiro semestre de 2017.

Participação por região

A pesquisa aponta ainda que a região Sudeste continua a de maior relevância nas compras do e-commerce, com 61,2% do share de produtos do Brasil, mas que perde aos poucos sua hegemonia para as outras regiões.

De acordo com os dados apurados, o share de produtos cresce fora do eixo Sudeste, com destaque para região Sul, cujo crescimento do comércio eletrônico (24% entre os períodos analisados) acompanha a menor taxa de crescimento do desemprego no país (8% com relação à média de 13% do Brasil).

Gênero e idade

Outro aumento de destaque é com relação a disposição dos gêneros nas compras do semestre. Pela primeira vez, a porcentagem de mulheres ultrapassou a quantidade de consumidores do sexo masculino: 51,5% contra 48,5%, respectivamente.

Para Pedro Guasti, consultor de negócios da Ebit/Nielsen, o crescimento “tem a ver com sortimento e tipo de produtos que mulheres que compram mais do que homens”. As categorias mais procuradas pelo sexo feminino são as de roupas, acessórios, perfumaria, assinatura de livros e alimentos.

De acordo com o levantamento, a faixa etária que mais compra no comércio eletrônico é de 35 a 49 anos. No Brasil, ainda existem grandes dificuldades de comunicação com duas gerações especificamente: os nativos digitais, mais exigentes e menos apegados às marcas, mas com baixo poder aquisitivo (como no caso dos chamados millennials); e das gerações acima de 50 anos, que precisam se adaptar ao ambiente online e sentem mais insegurança em efetuar compras em e-commerces, mesmo que representem uma fatia da população com maior poder aquisitivo.

Ticket médio

Houve retração, no entanto, com relação ao ticket médio gasto pelos consumidores brasileiro: de 7%. Para compensar o número negativo do primeiro semestre, o relatório prevê que 2018 deve fechar com ticket médio com aumento de 4%. As demais previsões para o próximo semestre dependem da situação política e econômica do país nos próximos meses, mas são positivas. O comércio eletrônico deve finalizar o ano com aumento de 12% e o número de pedidos deve crescer até 8%.

Fonte: E-commerce Brasil

Publicada Nota de Documentação Evolutiva da EFD-Contribuições


Postado em 23/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Publicada a Nota de Documentação Evolutiva – EFD-Contribuições nº 001/2018 – que trata das alterações nos Blocos M e 1 da EFD-Contribuições.

Para ter acesso, clique aqui.

Fonte: SPED

DPaschoal melhora vendas com SAP C/4HANA


Postado em 18/07/2018 por abarcelos
image-1

A FH foi destaque no Portal BaguetePortal SEGS e Decision Report com a implementação do SAP C/4HANA na DPaschoal, rede de serviços para automóveis.

A FH implementou um projeto de vendas assistidas usando tecnologia da SAP, a plataforma SAP C/4HANA. A venda assistida proporciona aos vendedores o acesso ao histórico de manutenção e revisão do veículo atendido, de forma integrada com as lojas físicas, virtuais e os centros de distribuição, de forma que há uma experiência única para o consumidor durante toda a sua jornada de compra, tanto no digital quanto na loja física.

“A empresa tem um perfil de venda consultiva, que começa com o atendimento online, passa pela loja e depois tem o engajamento no pós-venda e manutenção do veículo”, afirma o gerente de TI da DPaschoal, Robledo Castro.

Confira todos os detalhes da implementação e do projeto clicando abaixo! Boa leitura!

Clique aqui e confira a matéria na íntegra!

Como tornar seu negócio uma Empresa Inteligente


Postado em 18/07/2018 por abarcelos
image-1

A transformação digital originou um novo movimento na computação corporativa, tornando possível o surgimento das Empresas Inteligentes.

A transformação digital trouxe consigo diversas tecnologias inteligentes que moldaram a computação corporativa atual e redefiniram estratégias, fazendo surgir o que chamamos de Empresas Inteligentes. As Empresas Inteligentes têm como premissa a transformação digital e aplicam tecnologias inteligentes orientadas por dados para automatizar seus processos e para tomar decisões mais assertivas com foco nos clientes.

As tecnologias inteligentes estão conduzindo as empresas a uma próxima geração de economia de valor, permitindo que seus funcionários se concentrem em atividades mais importantes, como o sucesso do cliente, planejamento estratégico e inovação. Por isso, separamos algumas tendências que as empresas devem seguir para agregar valor às suas organizações e se tornar Empresas Inteligentes:

Inteligência Artificial e Machine Learning

A IA e o Machine Learning permitem que algoritmos aprendam a partir de dados, alcançando melhores resultados sem que precise haver uma reprogramação. As empresas podem aproveitar esses recursos para eliminar tarefas manuais repetitivas, liberando seus funcionários para a realização de outras atividades. Esse processo pode ocorrer por meio da automatização.

Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas possibilita uma mudança significativa na produtividade dos negócios. Com ela é possível conectar diversas informações e objetos em uma mesma rede, fazendo com que o mundo físico e o mundo digital se conectem. As análises em tempo real podem prever necessidades de manutenção, assim como identificar potenciais problemas nos processos antes que os mesmos aconteçam.

Análise avançada

Por meio da integração de recursos analíticos avançados em aplicativos, os usuários conseguem analisar dados em tempo real, impulsionando sua tomada de decisão, além de poder simular os impactos de cada estratégia no negócio. Esse tipo de análise permite a antecipação das necessidades dos clientes, colaborando para a promoção de melhores experiências.

Práticas Seguintes

As Práticas Seguintes são um conjunto de etapas que ajudam uma empresa a inovar mais rápido do que a concorrência. Essas práticas são definidas por um conjunto de recursos e resultados, que são possíveis graças às tecnologias inteligentes da próxima geração. Com isso, conseguem responder rapidamente às mudanças do mercado e dinamizar os processos para obter os melhores resultados.

A construção de empresas inteligentes vai além da automatização de processos. Ela permite que você capacite seus funcionários e faça mais com menos; é como enxergamos o futuro dos negócios. O futuro do mercado é das Empresas Inteligentes, sua empresa está preparada para se tornar uma delas?

Fonte: SAP

Versão 1.3.03 do Manual do Desenvolvedor da EFD-Reinf


Postado em 17/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Foi disponibilizada para download, a versão 1.3.03 do manual do desenvolvedor de aplicativos para a EFD-REINF.
Essa nova versão traz algumas melhorias em relação à versão anterior objetivando levar ao desenvolvedor mais facilidades no entendimento das soluções adotadas na aplicação webservice da EFD-Reinf.

Para ter acesso à versão, clique aqui.

Fonte: SPED

Publicação da versão 4.0.8 do programa da Escrituração Contábil Fiscal (ECF)


Postado em 17/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Foi publicada a versão 4.0.8 do programa da ECF, com a correção do erro de recuperação dos dados da Escrituração Contábil Digital (ECD), no caso de imunes/isentas obrigadas a entregar a ECD.

Fonte: SPED

Nota fiscal eletrônica 4.0: transmissão simplificada e transparente


Postado em 16/07/2018 por abarcelos
image-1

Por Guilherme Mairene

Substituir a forma de emissão de documento fiscal em formulários, automatizar o envio; reduzir custos; simplificar as obrigações acessórias e visualizar em tempo real os processos de transmissão das notas, além de permitir o acompanhamento do Fisco às operações comerciais. Com esse intuito surgiu a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) – que, para fins fiscais, documenta uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação serviços, com validade jurídica assegurada pela assinatura digital do emissor e pela Fazenda.

No formato XML, a nota fiscal eletrônica carrega informações de compra e venda, por meio de um leiaute. Tal documento é enviado pela internet para que a Fazenda valide e autorize as transações. Por meio desse acesso, o órgão consegue cruzar as informações declaradas, realizando uma fiscalização mais efetiva e transparente.

A mudança passa a valer a partir de 2 de agosto deste ano, com isso, as notas no padrão 3.10 deixam de ser validadas pelo governo. A expectativa é que 1,3 milhão de empresas precisem se adequar ao novo leiaute. E como se preparar para fazer a emissão eletrônica da NF? Inicialmente, a organização precisará compreender as mudanças processuais requeridas pela nova versão, em seguida, deverá adquirir uma solução fiscal que faça a emissão da Nota Fiscal Eletrônica 4.0.

O fato é que diante das novas exigências do Fisco, as empresas que vendem produtos (bens e mercadorias) devem ficar atentas em todas as alterações, a começar pelos preenchimentos obrigatórios no novo leiaute, como grupo de controle de lote e meio de pagamento, dentre outras questões.

A nova exigência afetará todos os segmentos industriais que movimentam mercadorias no país. Como exemplo podemos citar o setor farmacêutico, que a partir da nova versão deverá destacar o prazo de validade e o lote dos seus medicamentos no momento da emissão da NF 4.0. Na antiga versão isso não era exigido, no entanto, com a mudança haverá maior controle por parte do Fisco e, consequentemente, mais segurança aos consumidores. As empresas que não se adequarem ao prazo ficarão impossibilitadas de fazer a emissão das notas fiscais, afetando a comercialização de seus produtos.

Outro ponto que merece atenção: há companhias que já se adequaram a nova versão 4.0,  contudo a Receita Federal fez novas atualizações (NT 2016.002 V1.60) que precisam ser seguidas. Neste caso, o prazo é 23 de julho.

Guilherme Mairene é Principal of Technology da FH. Formado em Ciências da Computação pela UniversidaMorumbi (2013).

Fontes: Bem Paraná, Diário Comércio e Indústria, Empresas S/A, Portal Notícias Fiscais

Página /