IMPOSTO DIGITAL: entenda a proposta e como ela pode afetar a economia | FH Brasil

IMPOSTO DIGITAL: entenda a proposta e como ela pode afetar a economia


Postado em 28/08/2020 por asilveira
image-1

Apesar de ter em seu nome de batismo a palavra digital, o novo imposto terá um alcance bem mais amplo e poderá tributar sob todas as transações financeiras da economia. A princípio o imposto digital terá a alíquota de 0,2% e a estimativa de arrecadação gira em torno de R$120 à 240 bilhões.

A assessora especial do Ministério da Economia, Vanessa Canado, explica que a legislação está sendo desenhada para atender ao mundo digital e que a ampliação da base de arrecadação do novo tributo vai facilitar o rastreamento de pagamentos.

Embora seja defendido por Guedes como uma forma de simplificar e reduzir tributos, muitos já apelidaram o novo imposto de “CPMF Digital” ou “Nova CPMF”. Especialistas alertam para um efeito cascata negativo na economia devido à grande possibilidade de aumento nos preços para o consumidor final, já que afeta todas as etapas da cadeia financeira.

Outra polêmica que envolve o novo tributo é referente a forma de arrecadação, ele seria cobrado igualmente de todos, independente da faixa de renda. Para alguns especialistas, esse modelo afetaria e penalizaria principalmente aqueles que tem menor renda.

Já Paulo Guedes, argumenta que esse modelo de arrecadação seria o mais democrático, por cobrar um valor igualitário de todos, e que tende a afetar pessoas com renda mais alta, pois movimentam quantias maiores virtualmente. O ministro também pretende usar uma parte do dinheiro arrecadado com o novo tributo para bancar o Renda Brasil, um programa social criado pelo governo para substituir o Bolsa Família.

Mais detalhes da ampliação da base de incidência do novo tributo serão apresentados no próximo envio da proposta ao congresso.


 

Fonte

G1  e Valor Econômico.


Postado em Fiscal News

Comentários!