Manufatura News Archives | FH

Indústria 4.0, produção industrial inteligente


Postado em 20/11/2018 por tklinguelfus
image-1

Luciano Morais, diretor na Unidade de Consulting da FH, é destaque na Folha de Londrina, no Portal Indústria 4.0, no Portal Computer World, no Portal Mirian Gasparin, no Portal Indústria & Comércio, no Jornal Indústria & Comércio, Portal Sotes, Portal Curitiba IT, Portal Estado de Minas e Portal O Diário e Comércio MG com o artigo Indústria 4.0, produção industrial inteligente.

Nesta nova realidade, as formas de trabalho serão alteradas e é importante ressaltar que as empresas e pessoas precisarão pensar à frente desta curva tecnológica.

industria-4.0-producao-industrial-inteligente


Compartilhar!

Case de Sucesso: Sotreq acelera a performance tributária com o GUEPARDO


Postado em 07/08/2018 por tfagundes
image-1

Sempre prezando pela segurança das informações, a FH implementou a Solução Fiscal GUEPARDO na Sotreq, acelerou a produtividade fiscal e a companhia passou a ter visibilidade gerencial nas etapas do processo.

Sempre prezando pela segurança das informações, a FH implementou a Solução Fiscal GUEPARDO na Sotreq, acelerou a produtividade fiscal e a companhia passou a ter visibilidade gerencial nas etapas do processo.

Confira o case completo, clicando aqui!

Para que a Sotreq pudesse atender com agilidade às exigências legais e seguir com a excelência na oferta de soluções especializadas de infraestrutura, era necessário implementar uma solução com visão gerencial dos processos, além de otimizar a rotina contábil fiscal e eliminar retrabalhos.
Dentre as plataformas oferecidas pelo mercado, a Solução Fiscal GUEPARDO foi escolhida como parceira tecnológica por ser a única a atender a todas as obrigações das esferas municipais, estaduais e acessórias de maneira integrada, além de mapear e oferecer ao usuário uma visão gerencial estratégica de todas as etapas fiscais, apontar riscos e fazer com que o conhecimento tributário se torne sinônimo de otimização nos custos da organização.

Assim como a Sotreq, entre em contato com a FH. Nossa equipe comercial está à sua disposição para apresentar o que podemos fazer por você e pela sua empresa!


Compartilhar!

Publicada Nota de Documentação Evolutiva da EFD-Contribuições


Postado em 23/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Publicada a Nota de Documentação Evolutiva – EFD-Contribuições nº 001/2018 – que trata das alterações nos Blocos M e 1 da EFD-Contribuições.

Para ter acesso, clique aqui.

Fonte: SPED


Compartilhar!

Como tornar seu negócio uma Empresa Inteligente


Postado em 18/07/2018 por abarcelos
image-1

A transformação digital originou um novo movimento na computação corporativa, tornando possível o surgimento das Empresas Inteligentes.

A transformação digital trouxe consigo diversas tecnologias inteligentes que moldaram a computação corporativa atual e redefiniram estratégias, fazendo surgir o que chamamos de Empresas Inteligentes. As Empresas Inteligentes têm como premissa a transformação digital e aplicam tecnologias inteligentes orientadas por dados para automatizar seus processos e para tomar decisões mais assertivas com foco nos clientes.

As tecnologias inteligentes estão conduzindo as empresas a uma próxima geração de economia de valor, permitindo que seus funcionários se concentrem em atividades mais importantes, como o sucesso do cliente, planejamento estratégico e inovação. Por isso, separamos algumas tendências que as empresas devem seguir para agregar valor às suas organizações e se tornar Empresas Inteligentes:

Inteligência Artificial e Machine Learning

A IA e o Machine Learning permitem que algoritmos aprendam a partir de dados, alcançando melhores resultados sem que precise haver uma reprogramação. As empresas podem aproveitar esses recursos para eliminar tarefas manuais repetitivas, liberando seus funcionários para a realização de outras atividades. Esse processo pode ocorrer por meio da automatização.

Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas possibilita uma mudança significativa na produtividade dos negócios. Com ela é possível conectar diversas informações e objetos em uma mesma rede, fazendo com que o mundo físico e o mundo digital se conectem. As análises em tempo real podem prever necessidades de manutenção, assim como identificar potenciais problemas nos processos antes que os mesmos aconteçam.

Análise avançada

Por meio da integração de recursos analíticos avançados em aplicativos, os usuários conseguem analisar dados em tempo real, impulsionando sua tomada de decisão, além de poder simular os impactos de cada estratégia no negócio. Esse tipo de análise permite a antecipação das necessidades dos clientes, colaborando para a promoção de melhores experiências.

Práticas Seguintes

As Práticas Seguintes são um conjunto de etapas que ajudam uma empresa a inovar mais rápido do que a concorrência. Essas práticas são definidas por um conjunto de recursos e resultados, que são possíveis graças às tecnologias inteligentes da próxima geração. Com isso, conseguem responder rapidamente às mudanças do mercado e dinamizar os processos para obter os melhores resultados.

A construção de empresas inteligentes vai além da automatização de processos. Ela permite que você capacite seus funcionários e faça mais com menos; é como enxergamos o futuro dos negócios. O futuro do mercado é das Empresas Inteligentes, sua empresa está preparada para se tornar uma delas?

Fonte: SAP


Compartilhar!

Versão 1.3.03 do Manual do Desenvolvedor da EFD-Reinf


Postado em 17/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Foi disponibilizada para download, a versão 1.3.03 do manual do desenvolvedor de aplicativos para a EFD-REINF.
Essa nova versão traz algumas melhorias em relação à versão anterior objetivando levar ao desenvolvedor mais facilidades no entendimento das soluções adotadas na aplicação webservice da EFD-Reinf.

Para ter acesso à versão, clique aqui.

Fonte: SPED


Compartilhar!

Publicação da versão 4.0.8 do programa da Escrituração Contábil Fiscal (ECF)


Postado em 17/07/2018 por abarcelos
image-1

 

Foi publicada a versão 4.0.8 do programa da ECF, com a correção do erro de recuperação dos dados da Escrituração Contábil Digital (ECD), no caso de imunes/isentas obrigadas a entregar a ECD.

Fonte: SPED


Compartilhar!

Nota fiscal eletrônica 4.0: transmissão simplificada e transparente


Postado em 16/07/2018 por abarcelos
image-1

Por Guilherme Mairene

Substituir a forma de emissão de documento fiscal em formulários, automatizar o envio; reduzir custos; simplificar as obrigações acessórias e visualizar em tempo real os processos de transmissão das notas, além de permitir o acompanhamento do Fisco às operações comerciais. Com esse intuito surgiu a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) – que, para fins fiscais, documenta uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação serviços, com validade jurídica assegurada pela assinatura digital do emissor e pela Fazenda.

No formato XML, a nota fiscal eletrônica carrega informações de compra e venda, por meio de um leiaute. Tal documento é enviado pela internet para que a Fazenda valide e autorize as transações. Por meio desse acesso, o órgão consegue cruzar as informações declaradas, realizando uma fiscalização mais efetiva e transparente.

A mudança passa a valer a partir de 2 de agosto deste ano, com isso, as notas no padrão 3.10 deixam de ser validadas pelo governo. A expectativa é que 1,3 milhão de empresas precisem se adequar ao novo leiaute. E como se preparar para fazer a emissão eletrônica da NF? Inicialmente, a organização precisará compreender as mudanças processuais requeridas pela nova versão, em seguida, deverá adquirir uma solução fiscal que faça a emissão da Nota Fiscal Eletrônica 4.0.

O fato é que diante das novas exigências do Fisco, as empresas que vendem produtos (bens e mercadorias) devem ficar atentas em todas as alterações, a começar pelos preenchimentos obrigatórios no novo leiaute, como grupo de controle de lote e meio de pagamento, dentre outras questões.

A nova exigência afetará todos os segmentos industriais que movimentam mercadorias no país. Como exemplo podemos citar o setor farmacêutico, que a partir da nova versão deverá destacar o prazo de validade e o lote dos seus medicamentos no momento da emissão da NF 4.0. Na antiga versão isso não era exigido, no entanto, com a mudança haverá maior controle por parte do Fisco e, consequentemente, mais segurança aos consumidores. As empresas que não se adequarem ao prazo ficarão impossibilitadas de fazer a emissão das notas fiscais, afetando a comercialização de seus produtos.

Outro ponto que merece atenção: há companhias que já se adequaram a nova versão 4.0,  contudo a Receita Federal fez novas atualizações (NT 2016.002 V1.60) que precisam ser seguidas. Neste caso, o prazo é 23 de julho.

Guilherme Mairene é Principal of Technology da FH. Formado em Ciências da Computação pela UniversidaMorumbi (2013).

Fontes: Bem Paraná, Diário Comércio e Indústria, Empresas S/A, Portal Notícias Fiscais


Compartilhar!

Acompanhar a velocidade do Fisco não é uma tarefa fácil às empresas


Postado em 11/07/2018 por abarcelos
image-1

Profissionais que atuam na área tributária precisam ter não só conhecimento fiscal, mas também tecnológico. Esse é o perfil que as companhias têm buscado

O volume e a complexidade das obrigações que precisam ser entregues ao Fisco exigem atenção por parte das companhias. A conformidade na entrega evita riscos fiscais e financeiros, especialmente quando se trata de grandes volumes de dados. “Já atendemos casos de empresas que, por fazer a entrega errada, estavam pagando mais impostos do que deveriam”, conta Jean Soares, Tax Manager da FH, empresa de tecnologia especializada em processos de negócios e software.

Com a automatização, a legislação aliou-se à tecnologia, conforme explica Soares, que coordena a área estratégica da FH – Tax Compliance Services. “Com isso, há mais qualidade e segurança nas informações prestadas à Receita Federal”, relata. Neste sentido, exige-se cada vez mais dos profissionais da área tributária conhecimento não só de legislação, mas também de tecnologia. É justamente esse o perfil que a FH está contratando para a área em expansão.

Além de conhecimento tributário, a empresa exige para os cargos disponíveis aptidão para trabalhar com sistemas. Para preencher as vagas, os profissionais devem ter formação em Ciências Contábeis, Administração, Direito ou Ciências da Computação e áreas correlatas. Entre os benefícios estão plano de carreira e capacitação profissional.

Atenção às obrigações exigidas pelo Fisco

Diante de tantos desafios na área tributária, como a entrega da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) no dia 31 de julho de 2018, a preocupação da FH é garantir o cumprimento das rotinas fiscais das organizações, independente do segmento de atuação.

Em relação à ECF, a Receita Federal utiliza mecanismos para realizar cruzamentos internos com outras obrigações acessórias. Para evitar penalidades, o Tax Compliance Services é uma área estratégica que, por meio de ferramentas, alia conhecimento fiscal e tecnológico, apoiando o cumprimento do compliance desta obrigação, desde a geração da escrituração até a auditoria, revisão e retificação.

“Oferecemos o suporte tecnológico e fiscal. A nossa preocupação é proteger o patrimônio dos clientes em relação aos riscos inerentes aos aspectos tributários. Diante disso, reforçamos a importância do compliance na transmissão das obrigações acessórias e oferecemos um serviço que abrange a revisão fiscal dos processos, elaboração das apurações e geração dos arquivos”, esclarece Soares.

Pela Solução Fiscal GUEPARDO, a FH atua no segmento tributário desde 2009. E, agora, com a área de Tax Compliance Services, os clientes poderão usufruir de duas modalidades de atendimento: consultoria tributária e BPO. “No caso de consultoria, as informações entregues ao Fisco são validadas por nossos profissionais. E, por meio dos serviços de BPO, também geramos a obrigação acessória ao cliente”, explica o Tax Manager.

Além dessas vantagens, ao unir tecnologia e expertise tributária, as empresas terão uma melhoria contínua dos processos; redução de custos no corebusiness; redução de encargos trabalhistas; serviço de alta performance; baixo custo e, consequentemente, maior lucro.

Fonte: Portal SEGS, IT Fórum 365Portal AW Informatica


Compartilhar!

Metade do setor industrial ainda vai investir em digitalização em 2018


Postado em 09/07/2018 por abarcelos
image-1

Pesquisa mostrou crescimento no número de empresas que já utilizam ferramentas digitais. Aposta é no processo de produção e desenvolvimento de produtos.

Há muito se discute a digitalização da indústria, que estaria no caminho para se tornar 4.0. Nos últimos dois anos, o setor vem investindo em novas tecnologias. Um levantamento da CNI (Confederação Nacional da Indústria), mostrou que a proporção de empresas que estão apostando na digitalização vem crescendo. Em 2018, 48% dos empresários do setor industrial pretendem investir na digitalização de processos.

O número de grandes indústrias que utilizam pelo menos uma das 13 tecnologias consideradas na pesquisa cresceu 10%. No início de 2016, 63% das empresas analisadas investiam neste tipo de inovação. A proporção subiu para 73% na última pesquisa da CNI. “Esse cenário demonstra que as empresas ainda estão no estágio inicial da migração para a digitalização”, afirma Renato da Fonseca, gerente-executivo de pesquisa e competitividade da CNI.

Aposta na eficiência

A indústria apostou na modernização para ser mais eficiente na produção, além de melhorar a gestão dos negócios. Entre as que já usam tecnologias digitais, 90% possuem ferramentas usadas no processo de produção. Pouco mais da metade – 58% – aplicam a tecnologia no desenvolvimento de produtos. Um terço ainda investe em novos modelos de negócio.

O recurso digital mais popular são os sensores que controlam os processos de produção. A tecnologia é usada por 46% das empresas. A automação foi o tipo de inovação que mais se popularizou desde 2016. Dois anos atrás, 15% das indústrias usavam este tipo de ferramenta, que hoje é explorada por 30% das empresas ouvidas. “É um caminho natural – as empresas experimentam, observam os resultados e tendem a sofisticar os investimentos aos poucos”, explica Fonseca.

Motivação

O que levou a indústria a investir na digitalização do negócio foi, principalmente, a expectativa de retomada da demanda. Entre as empresas que pretendem investir em tecnologias digitais, 69% indicaram que suas decisões de investimento foram estimuladas pela demanda de 2018. Já para 18%, a demanda foi a razão para não investir.

Fonte: Consumidor Moderno


Compartilhar!

Publicação da versão 5.0.3 do programa da ECD


Postado em 04/07/2018 por abarcelos
image-1

Foi publicada a versão 5.0.3 do programa da ECD, com melhorias no tempo de validação do arquivo da ECD.

Fonte: SPED


Compartilhar!

Página 1/12 | Próxima | Última