FH Brasil | Atenção aos módulos do SPED

Atenção aos módulos do SPED


Postado em 08/03/2018 por FH
image-1

*Por Johney Laudelino da Silva

Instituído pelo Decreto nº 6.022/2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é mais um avanço na informatização da relação entre o Fisco e os contribuintes. No portal do SPED, é possível encontrar todas as informações necessárias para a geração de arquivos, assim como download dos programas, leiautes, tabelas, atualizações, comunicação com a Secretaria de Estado da Fazenda de cada unidade federativa, entre outros serviços.

Atualmente, com mais de dez módulos, o projeto SPED tem como objetivo aumentar a fiscalização, evitar evasão fiscal e estimular os contribuintes a automatizarem cada vez mais os seus processos administrativos e operacionais, são eles: Conhecimento de Transporte eletrônico (CT-e); Escrituração Contábil Digital (ECD); Escrituração Contábil Fiscal (ECF); Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição Previdenciária sobre a Receita (EFD-Contribuições); Escrituração Fiscal Digital do ICMS e IPI (EFD ICMS IPI); Escrituração Fiscal Digital das Retenções e Informações da Contribuição Previdenciária Substituída (EFD-Reinf); e-FINANCEIRA, conjunto de arquivos digitais referentes a cadastro, abertura, fechamento e auxiliares, além da prestação de informações relativas às operações financeiras de interesse da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB); eSocial, unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, que tem a finalidade de padronizar a transmissão, validação, armazenamento e distribuição, constituindo um ambiente nacional; Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e); Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e); Nota Fiscal Eletrônica (NF-e); Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e).

Esses módulos possuem em sua essência a automatização dos controles e processos, geração de dados e cruzamento das informações. Logo, se as empresas conseguirem automatizar tais processos, ao atender o que foi designado pelos órgãos competentes para cada item, terão mais eficiência, menos retrabalho e menor custo. Para tanto, além da visão de custo operacional, é fundamental investir em soluções fiscais flexíveis que facilitam o dia a dia, tragam dados mais confiáveis e sejam compatíveis com as demandas do negócio.

Confira também a Entrevista de Johney Laudelino da Silva para a Rádio Justiça sobre o Sistema de Escrituração Digital:

*Johney Laudelino da Silva é especialista em Gestão Tributária e na Solução Fiscal GUEPARDO da FH. É formado em Ciências Contábeis e possui MBA em Gerência Contábil pelo IBPEX. E-mail: johney.silva@fh.com.br .

Fonte: Empresas S/A, Notícias Fiscais, Bem Paraná

 


Compartilhar!

Seja o primeiro a comentar!

Deixe um comentário!
Assinar Newsletter